terça-feira, 13 de outubro de 2009

Memórias de um pequeno sentimento

O que é que se faz quando se descobre, que afinal, não somos imunes àquele sentimento que é o de gostar de alguém?
Sinto-me, de repente, como se tivesse sido acordada violentamente de um sonho no qual não se quer acordar.
Gostava de o ter previsto... mas como já alguém disse: "o amor acontece"!
-Pois- respondes tu!
Temos convivido em demasia, ou não!
Quase que dou por mim a sofrer a tua dor, o que me dói ainda mais...
Como é que isto foi acontecer????
Podia ficar a irradiar alegria por sentir o que sinto, mas em vez disso invade-me uma tristeza enorme.
-Ficas melhor de cabelo apanhado! - e eu uso-o assim, secretamente, só para ti!
Não me sinto à tua altura, por isso prefiro sofrer no meu silêncio.
E perguntas-me o que tenho, que estou esquisita; e eu fujo, como tento fugir deste sentimento que descobri!
Era o fim da nossa amizade, eu sei. Por isso não to posso dizer, nem a ti nem a ninguém.
Até penso, por vezes que isto só pode ser imaginação da minha cabeça. Eu não queria, juro que não queria, gostar de ti desta maneira... mas aconteceu. Apanhou-me desprevenida e agora não sei o que fazer...
E tu só respondes:
-Bom dia Coração!

1 comentários:

Dario disse...

Temos mais em comum do que eu imaginava! Compreendo perfeitamente o que escreveste, fez-me recordar!
Pessoas como nós, temos os outros demasiado alto para chegarmos, e nós próprios, demasiado baixo para nos verem! Não te preocupes com isso, mas não deixes que te passe ao lado!

Enviar um comentário

Digam Horrores, não nos poupem ao Drama que é a vossa Trágica opinião!