quarta-feira, 9 de junho de 2010


Em letras pequenas
E miúdas
Escritas por imensas penas
Tentei dizer-te o que sinto
Tentei escrever
E mostrar-te
O que sou...
O que te dou...
Porém as letras eram pequenas
E o papel foi em vão
E tudo aquilo que te disse
Não te chegou ao coração
Enchi-me então de coragem
Cheguei sozinha ao pé de ti
Mas sem saber porquê
Não disse o que sentia e menti.
Voltei então novamente a casa
Peguei na folha e na pena
E em letra miúda e pequena
Tudo o que queria escrevi.
Disse que o meu coração parava
Sempre que te via
Disse que contigo sonhava
Dormindo ou acordada
Que queria passear de mão dada
Contigo de noite ao luar
Beijar-te e deixar-me beijar...
Amar-te mesmo que não me amasses
Disse-te tudo...
E de forma suave pedi-te
Nesta carta perfumada
Para me deixares dar-te o mundo
Amar-te e ser amada!

4 comentários:

Dario Martins disse...

Lembro-me bem deste poema! =)

Lara Filipa GV disse...

adorei, mesmo!

Ana Pádua disse...

"E tudo aquilo que te disse
Não te chegou ao coração" ...

nao devia ler estas coisas quando estou "sensivel" :P

gostei munto Patricia ;)

andreiacapelo disse...

adorei :) parabéns.

Enviar um comentário

Digam Horrores, não nos poupem ao Drama que é a vossa Trágica opinião!